O termo “pterígio” vem do grego “pterýgion” e significa “pequena asa”. Pterígio caracteriza-se como um tecido fibrovascular em formato triangular ou trapezoidal, que se origina da conjuntiva inter palpebral e se estende para a córnea.

A maioria dos pterígios não provoca sintomas, mas às vezes causam irritação ou distorção da forma da córnea, podendo acarretar em uma diminuição na visão.

As queixas mais frequentes são de olho vermelho, ardor, queimação, irritação, fotofobia e sensação de corpo estranho. É consequência da quebra do filme lacrimal provocada pela irregularidade superficial da conjuntiva. Entretanto, muitas vezes, as queixas que levam o paciente a procurar tratamento estão relacionadas com a estética.

As causas para o surgimento do pterígio podem ser as seguintes: exposição prolongada à luz ultravioleta (luz do sol sem óculos de sol), olho seco e irritações como poeira e vento. O pterígio é mais frequente em adultos jovens com idades entre 20 e 40 anos e parece ser mais comum em homens do que em mulheres.

A prevenção normalmente ocorre evitando a exposição ao sol, com o uso de óculos de sol para proteção contra radiação ultravioleta (UVA e UVB), pois pessoas que trabalham ao ar livre expostas ao sol e poeira têm mais chances de desenvolverem o pterígio.

A remoção cirúrgica é indicada quando o pterígio progride em direção ao eixo visual, caso em que o paciente possui irritação ocular excessiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *