O diabetes mellitus (DM) consiste em um distúrbio no metabolismo caracterizado por hiperglicemia persistente, decorrente de deficiência na produção de insulina ou na sua ação, ou em ambos os mecanismos, ocasionando complicações a longo prazo.

Tal patologia está associada a complicações crônicas vasculares, com possível comprometimento dos rins, cérebro, coração e olhos. Estes últimos podem sofrer com prejuízo dos movimentos oculares, alteração de sensibilidade corneana, alterações de refração, aumento na incidência de catarata, glaucoma e retinopatia diabética.

Dentre as consequências acima citadas, a Retinopatia diabética (RD) é uma das principais causas de perda visual irreversível no mundo. Quanto maior o tempo de duração do diabetes mellitus (DM), maior o risco de RD, sendo encontrada em mais de 90% dos pacientes com DM tipo 1 e em 60% daqueles com DM tipo 2, após 20 anos de doença sistêmica. Além disso, a gravidade da retinopatia aumenta com controle glicêmico inadequado. Logo, o diagnóstico precoce e o manejo adequado e rigoroso, tanto sistêmico quanto oftalmológico, são fundamentais para se evitar perda visual permanente nos pacientes com diabetes.

Dr. Daniel da Rocha Lucena CRM 6978/RQE 5825

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *