As lentes de contato são discos de plástico transparentes adaptadas por cima da córnea. Corrigem a miopia, hipermetropia e astigmatismo, podendo ser usadas o dia todo e retiradas para dormir.

Nossos olhos recebem 21,0% de oxigenação do meio ambiente. Só o fato de estar com as pálpebras fechadas (dormindo) atinge-se uma oxigenação de 7,0%. Com o uso da lente de contato rígida chega-se a 18,0% de oxigenação. As lentes gelatinosas descartáveis de uso diário fornecem 10,0%. O valor mínimo para uso prolongado é de 12,0%, sendo o ideal 18,0%. A presença do oxigênio é fundamental para “respiração” da córnea e sua diminuição pode levar a lesões do epitélio corneano, com conseqüente penetração de bactéria, fungos ou acantamebas, ocasionando úlceras graves com diminuição ou até perda visual.

As lentes mais conhecidas são as gelatinosas, discos flexíveis, confortáveis e que podem ser descartáveis, conferindo menor possibilidade de infecção. Podem também ser coloridas, modificando a cor dos olhos. Existem também as lentes gelatinosas tóricas que corrigem o astigmatismo. O material mais novo de lentes gelatinosas é o silicone hidrogel que permite uma maior oxigenação corneana, sendo a tendência de todas as empresas fabricarem suas lentes com esse tipo de material. Devem ser retiradas obrigatoriamente para dormir: as de primeira geração pela baixa oxigenação fornecida durante o sono com maior risco de infecção e as de silicone hidrogel pela maior adesividade bacteriana, aumentando também o risco de infecção.

Outra modalidade são as lentes rígidas, discos rígidos, menos confortáveis, mas preferidas pelos médicos por permitir oxigenação corneana próxima (18,0%) do natural, trazendo segurança do ponto de vista infeccioso e evitando vascularização corneana. São confeccionadas personalizadamente, através de moldes apropriados. Tem maior resistência a adesão de depósitos do que as gelatinosas, além de corrigirem a baixa visual causada pelo ceratocone. No caso especial do ceratocone, além das lentes rígidas comuns existem as lentes sopper (dupla curvatura) e a Rose K (curvatura posterior adaptada para ectasia), que permitem uma melhor adaptação nos casos avançados da doença. As lentes rígidas podem durar até dois anos, são as únicas confeccionadas para dormir, mas é prudente retirá-las durante o sono, pois aumentam sua vida média.

No primeiro sintoma de dor, desconforto ou lacrimejamento excessivo, com alterações da visão, devem-se retirar as lentes de contato e consultar seu médico oftalmologista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *